17 Anos Sem os Mamonas

A exatos 17 anos, no dia 2 de março de 1996, terminava em um trágico acidente aéreo a carreira meteórica de uma das mais promissoras bandas do rock nacional. Os Mamonas Assassinas conseguiram em pouco mais de 7 meses, vender nada menos do que 3 milhões de cds, conquistar o disco de diamante e o coração de boa parte dos brasileiros.

Nunca na história tantos héteros conseguiram dizer a frase “hoje eu sou um gay” com tanto entusiasmo e vontade. Nunca foi tão divertido falar palavrões ou ver metaleiros e rockeiros ouvindo e gostando de músicas com pegada de pagode, forró, Reggae e outros. Os Mamonas Assassinas conseguiram ultrapassar a barreira da música segmentada a um determinado público e mostraram que é possível fazer um som unindo quase toda a diversidade musical existente no Brasil e agradar a “gregos e troianos” (com exceção dos hipócritas e falsos puritanos que existiam na época e continuam existindo atualmente).

Dinho, Bento, Júlio, Samuel e Sérgio desapareceram desse mundo mas fizeram a diferença. O legado dos mamonas existirá para sempre no coração daqueles que acompanharam a trajetória da banda e das novas gerações que conhecerem o trabalho dos garotos de Guarulhos.


 1084 Visualizações