Kiss – Especial

Quer você goste ou não, o KISS está entre os nomes mais lembrados do rock como Rolling Stones e Beatles. Uma das raras bandas que resistiu a tudo: brigas, exposição na mídia, mudanças na sua formação, polêmicas e ao próprio tempo…

O que vocês acompanharão aqui serão algumas passagens da banda, nem mais, nem menos importantes. Algumas partes para quem quer conhecer melhor a banda e se sentir a vontade. Quem já se sente membro do “Kiss Army” pode relembrar partes da história desta incrível banda que precisaria de inúmeras páginas para caber seus 40 anos de vida.


O Início

Os anos 70 iriam mudar a vida dos jovens Stanley Harvey – um guitarrista talentoso e com boa voz – e Eugene Klein (o rapazinho da língua). Por culpa de Steve Coronel, o ex taxista Stanley e o professor Eugene foram apresentados e juntos formaram a banda Wicked Lester, juntamente com o baterista Tony Zarella e o próprio Steve Coronel. Eugene passou a ser conhecido como Gene Simmons e Stanley Harvey como o nosso querido Paul Stanley.

A banda tocava em qualquer lugar onde existissem pessoas dispostas a ouvir e numa dessas a sorte chegou a eles. O dono do estúdio Eletric Lady, o senhor Ron Johsen, gostou do que ouviu e convidou a banda para gravar uma demo, que despertou interesse da gravadora Epic, assinando contrato com a Wicked Lester.

Paul e Gene estavam insatisfeitos, não estavam fazendo a música que sonhavam. Em certo dia, a dupla compuseram “Firehouse”, “Deuce” e “Black Diamond”. Isso que era o sonho deles: som pesado e único. Era só esperar pelo dinheiro, fama e mulheres.

 

 

Os dois procuravam um baterista e em um anúncio de jornal contataram Peter Criscoula (O Peter Criss) que já tinha onze anos de experiência. Com a banda praticamente ‘pronta’ foram mostrar seu trabalho para a Epic. Foi um fail total, o irmão de Peter Criss que assistia ao show vomitou nos pés de um executivo da gravadora.

Eles não desistiram, acreditavam estar no caminho certo e procuraram um guitarrista solo. De vários testes feitos, gostaram de um rapaz magrelo, que andava com uma gangue de Nova Iorque, ex-motorista de caminhão: Pau “Ace” Frehley.

Após o time estar completo, buscaram algo único para se destacarem, com várias experiências decidiram pintar os rostos com personagens e permanecerem incógnitos.

Depois dessa maquiagem toda só faltava o nome, Paul teve a ideia salvadora do nome Kiss, pois estava sendo cogitava a palavra ‘Fuck’ para a banda. Ufa!

O primeiro show da então Kiss foi em um hotel de Nova Iorque, fizeram uma vaquinha para alugar uma limusine e chegarem “causando”, mesmo sendo uma banda de abertura com minutos de apresentação.

 

 

A história se repetiu em uma de suas apresentações, onde Bill Alcoin gostou do que viu e se ofereceu para ser o empresário. Bill tinha um amigo chamado Neil Bogart, ouviu a demo e assinou contrato. O Kiss havia fechado com a Casablanca Records and Tapes.

Em 1974 gravaram o primeiro disco com o nome simplesmente de Kiss, fez história com as canções “Cold Gin”, “Strutter” e “100,000 Years”, mas sua obra prima foi o terceiro disco em 76, o ‘Destroyer’. Um dos álbuns mais importantes do mundo do Rock.

 

Álbuns Kiss e Destroyer


As Baixas

Como toda banda, Kiss teve seus altos e baixos. Os problemas começaram a aparecer com desentendimento de membros e um dos primeiros problemas foi o disco solo de Peter Criss que era totalmente pop e diferente da banda. Também tiveram rixas com gravadoras, Ace estava no álcool e nas drogas deixando a banda, então Gene, convida seu amigo Vinnie Vincent para assumir o seu lugar. Gravaram Creatures of the Night que foi bem recebido pelos fãs.

 

Álbuns Creatures of the Night e Lick it Up

 

Após épocas de sombras a banda precisava chamar atenção novamente. A MTV exibiu um vídeo de “Lick it Up”, que também era o nome do novo disco, os fãs viram os músicos sem as máscaras e, isso se repetiria diversas vezes, como na turnê do álbum Animalize com o novo guitarrista Mark St. John e no acústico da MTV com a volta dos membros originais.

 

 


O Circo está na cidade

 

Em 1998 chegou às lojas o álbum Psycho Circus que atingiu disco de ouro em menos de um mês. Foi uma das turnês mais importantes para conquistar novos fãs dos anos 80 e 90. Na entrada dos shows eram distribuídos óculos 3D. Era tudo parte do espetáculo com os telões que exibiram imagens 3D.

Na noite de Halloween de 1998, em Los Angeles, aconteceu o primeiro show em 3D da história. O palco gigante, efeitos de luzes e fogos que já eram tradicionais trouxeram o velho Kiss em sua forma de glória.

O marketing por volta disso era grande, teve HQ’s com sangue dos membros misturados na tinta, bonecos, provedor de internet e até um carro de 75 mil dólares. O Kiss está de volta!

 


40 anos de Rock and Roll all Nite and party every day!

 

Entre 1º de abril e 24 de junho serão relançados em vinil todos os discos oficiais da banda, incluindo títulos que nunca foram disponibilizados neste formato, como “Psycho Circus”, “Alive: The Millennium Concert” e “Carnival of Souls: The Final Sessions”. Os discos trarão o áudio remasterizado e serão prensados em vinil de 180 gramas.

Outro lançamento, agendado para maio, é o CD duplo “Kiss 40”. Trata-se de uma coletânea que agrupa faixas lançadas ao longo da carreira, sendo que algumas são em versões demo, como “God of Thunder”, e outras em gravações ao vivo, além das versões oficiais.

 

 

Mas a cereja do bolo é a caixa especial chamada “Kissteria – The Ultimate Vinyl Road Case”. São 34 LPs, incluindo títulos nunca lançados em vinil, seis discos exclusivos desse lançamento e outros mimos que os fãs adoram, como fotos e pôsteres. A caixa será numerada em apenas mil cópias.


Algumas Curiosidades

• Gene afirma que revistas em quadrinhos são o grande responsável pelo que ele é hoje. Suas asas de morcego foram inspiradas no Raio Negro, dos Inumanos.

• Paul foi o último a se decidir por sua maquiagem. Testou várias coisas até escolher a estrela, sugerida por Ace. A ideia original era de colocar a estrela nos dois olhos, mas Paul alegou preguiça e decidiu coloca-la em um só.

• Os ingredientes oficiais que compõe o sangue falso de Gene Simmons são: Manteiga derretida, catchup, ovos, iogurte e corante vermelho.

• Durante uma turnê pelo Japão, a banda resolveu se divertir andando de bicicleta pelos corredores do hotel… e atirando com pistolas de brinquedo nos outros hóspedes.

• A primeira coisa que Peter Criss comprou com o dinheiro que ganhou com a banda foi uma lápide para o túmulo de sua avó.

• Antes de começar a tocar, Gene era professor primário.

• O especial acústico do Kiss para a MTV é o campeão de audiência da emissora nos EUA.

• Quando o Kiss teve que substituir Ace Frehley em 1982, guitarristas conhecidos como Richie Sambora e até Van Halen queriam tentar a vaga. A banda Van Halen foi apadrinhada por Gene Simmons no início da carreira.

• Para dar mais confiança a Bruce Kulick, certa vez a banda o abandonou no palco: Bruce fazia um solo de cerca de quatro minutos. A banda saiu e simplesmente não voltou. Quando Gene pisou no palco, Bruce solava há quase 10 minutos. Bruce então arrancou o baixo das mãos de Gene e continuou solando por mais alguns minutos com o instrumento do companheiro.


Ficha dos membros clássicos:

Gene Simmons – The Demon
Atuação: 1972 até hoje no baixo e vocal.
Nome verdadeiro: nascido ChaimWitz, rebatizado Eugene Klein
Data de nascimento: 28 de agosto de 1949, Haifa, Israel.

 

 

Paul Stanley – The Starchild
Atuação: 1972 até hoje na guitarra e vocal.
Nome verdadeiro: Stanley Harvey Eisen
Data de nascimento: 20 de janeiro de 1952, Queens, NI.

 

 

Ace Frehley – Space Ace
Atuação: 1973 até 1982 // de 96 até 2002 na guitarra solo.
Nome verdadeiro: Paul Daniel Frehley
Data de nascimento: 27 de abril de 1951, Bronx, NI.
Brincalhão e simpático. Ace é o membro mais bem-humorado do Kiss. Começou a tocar com 14 anos e logo já montou uma banda. Foi o último dos quatro a se juntar ao grupo.

 

 

Peter Criss – The Cat
Atuação: 1972 até 1980 // de 96 até 2004 na bateria.
Nome verdadeiro: Peter Criscoula
Data de nascimento: 20 de dezembro de 1947, Brooklyn, NI.
O mais experiente do quarteto. Peter já tocava há onze anos quando o Kiss se formou. Compôs “Beth”, uma das melhores baladas do Kiss.

 

Outros membros

Tommy Thayer
Atuação: Está atualmente na nova formação da banda como guitarrista, substituindo Ace.
Nome Verdadeiro: Thomas Cunningham Thayer
Data de Nascimento: 7 de novembro de 1960, Portland, Oregon.
Adotou a mesma máscara de Ace.

 

 

Eric Singer
Atuação: Dezembro de 91 até agosto de 96 como baterista, está na banda atualmente.
Nome verdadeiro: Eric Mesinger
Data de Nascimento: 12 de maio de 1958, Cleveland, Ohio.
Substituiu Eric Carr que não conseguiu tocar na gravação de Revenge, pois estava com problemas de saúde.

 


Site oficial do Kiss

 

Referências e fontes utilizadas:

VILLIEGAS, RENATO. Kiss, O Maior Espetáculo da Terra. Conrad Editora, São Paulo, 1991.

Wikipédia. (site)

Territorio da musica (site)


 1465 Visualizações